Recanto de Ganesha - Mantras, Meditação e Qualidade de Vida

Mantra Prana Apana Sushumna Hari

Home » Prana Apana Sushumna Hari

Conceito do mantra

Prana é a força vital e Sushumna é o canal central dessa força.

Esse mantra ajuda a extrair energia da coluna para a cura. Hari e Har são nomes de Deus.

Quando prana e apana fluem juntos através de Sushumna – a passagem central da coluna vertebral – para o topo da cabeça, a experiência do samadhi ocorre, que é o objetivo de toda prática iogue.

Apana é a força eliminadora ou a remoção de força ou energia Negativa.

Sushumna é o canal através do qual essas energias se movem em torno do nosso corpo.

Hari e Har são os nomes da fonte divina de energia infinita, fonte de cura, alguns também dizem que a palavra Hari vem de Hara, que significa removedor, removedor de dor e negatividade.

Este mantra é um dispositivo de cura muito poderoso. Tanto para a cura física quanto emocional. Ao usar este mantra para curar, concentre-se em sua respiração e, ao inspirar, visualize que uma força ( energia vital) está purificando todo seu corpo (Sistema).

Com Apana, visualize que toda a dor e negatividade e bloqueios de energia dentro de seu corpo estão sendo removidos.

E Sushumna, é o canal, através do qual a energia está circulando em seu corpo.

Visualize o ar e a energia circulando dentro de todo o corpo, cada célula do seu ser é iluminada pela força vital.

E quando chegamos à palavra Hari, sorria e aproveite todas as coisas maravilhosas que o universo tem a oferecer. Isso Hari tem para oferecer.

Mantra Prana Apana Sushumna Hari

LETRA DO MANTRA

♪♩ Prana Apana Sushumna Hari Hari Har Hari Har Hari Har Hari ♪♩

**Prana** – força da vida
**Apana** – Grande “Cleanser” do nosso sistema
**Sushumna** – Canais para a Força da Vida
**Hari / Har** – Grande Infinito Criativo

A palavra yoga em sânscrito JUJ (yoga) é união, é nossa busca constante nos unirmos ao todo, à respiração, ao corpo e à mente, entre outros.

Quando encontramos a união, entramos no estado de samadhi. A prática de asanas como meditação é simplesmente uma ferramenta que nos ajuda a seguir o caminho da união com o todo.

Nosso corpo é um elo para alcançar tal estado. E existem diferentes formas de alcançá-lo, como a prática de exercícios respiratórios, a prática de asanas, a meditação e o movimento de energia que pode ser dado graças ao já mencionado.

Os 5 vayus referem-se ao funcionamento da energia dentro do nosso corpo (Prana, apana udaana, samaana e vayaana).

Prana está em constante movimento dentro de nós e de todos os seres vivos. Nossas ações, movimentos e sentimentos são uma reflexão que nosso prana está dentro de nós.

A base do prana está na parte superior do nosso corpo, na parte da boca, a garganta, também se refere ao quinto chakra VISHUDI.

O Prana está conosco desde o dia do nosso nascimento até o dia da nossa morte, mas é importante ajudar a energia a se mover com exercícios de respiração (pranayama) com consciência de inalação, exalação, retenção da suspensão.

Na prática, é importante estar muito presente com a respiração, enviando energia para o assoalho pélvico até que seja misturado com Apana (energia que desce). A energia do apana é o oposto do prana.

A função apana consiste em eliminar o que o corpo não precisa, incluindo energia.

Pode-se dizer que o apana está em conformidade com a limpeza do corpo. A energia do apana reside na parte inferior do corpo, abaixo do umbigo, sendo este o espaço onde está localizado o sistema digestivo, o que ajuda nosso corpo a ser mais saudável e, assim, trabalhar melhor.

O apana está relacionado aos três primeiros chakras BIJA, SWADISHTANA e MANIPURA.

Apana também trabalha pela força, pois busca a união com o prana pelo canal central de nosso corpo, tanto energético quanto físico, fazendo forças opostas para que ele suba e apana que desce. Na prática, é importante aumentar a conscientização em mula bandha, dessa forma ativamos o apana vayu.

O Sushmuna é união das duas forças Prana e Apana na cavidade prânica cria um calor tremendo no Chakra do umbigo – um calor não quente, mas brando.

As energias combinadas são frequentemente descritas como a energização do filamento do sushmuna, o que significa que o sushmuna se acende como o filamento de uma lâmpada subitamente ligada à fonte de energia elétrica.

Compartilhe